instalação de gás em condomínios

Um projeto de instalação de gás residencial em prédios e condomínios deve ser feito com muita atenção e correspondendo a todas as normas de segurança, para que tudo ocorra conforme o planejado no final do projeto.

instalação de gás em condomínios

No decorrer deste artigo vamos mostrar como funciona o sistema de gás em um condomínio, os tipos de gás que são utilizados, o projeto que é adotado e a legislação, que precisa ser obedecida para a execução de um bom projeto.

Tipos de gás

A utilização do gás na instalação em prédios e condomínios, é feita com duas opções de abastecimento, a primeira é feita utilizando três tipos de gases: o propano, o butano e o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), que é um composto dos dois. Todos, como a gasolina e o diesel, são subprodutos derivados do petróleo e distribuídos pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado ABEGÁS.

instalação de gás em condomínios

No caso do gás GLP, as distribuidoras oferecem opções de 2 a 90 quilos ou a granel, com abastecimento local que é realizado por caminhões tanque.

A outra possibilidade de abastecimento utiliza o Gás Natural (GN) que é extraído em minas e distribuído por uma rede de dutos conectada aos consumidores.

GLP OU GN?

O  Gás Natural vem ganhando mais espaço por conta de algumas vantagens técnicas que ele vem a oferecer, começando pelo fornecimento que é realizado continuamente, dependendo apenas do reabastecimento do botijões ou da substituição do mesmo, além disso o GN é menos agressivo aos equipamentos a gás, aumentando a durabilidade desses equipamentos.

Por um outro lado o custo do gás GLP é bem menos do que o GN, e nem todos equipamentos são programados para o gás GN, outro fator é que o GLP pode ser armazenado e abastecido sem qualquer risco na interrupção do abastecimento, em função dos acidentes que ocorrem na rede.

instalação de gás em condomínios

Para a escolha do produto, é necessário fazer uma análise sobre todos os aspectos que vão ser realizados no projeto de instalação de gás em condomínios e prédios, como os preços que as distribuidoras repassam a obra, por isso é analisar todos os aspectos no início no projeto para não cometer erros posteriormente.

Instalação de gás em prédios e condomínios.

Para início desse tópico, é necessário colocar que em diversos municípios brasileiros, é proibida a utilização de botijões de gás em unidades condominiais, além disso é preciso

considerar o aspecto da falta de praticidade que esse abastecimento impõe.

Ou seja, as soluções portanto são, fazer instalações com centrais externas de GLP, ou propor o recebimento de GN fundamentado na rede de distribuição. A partir dessa primeira decisão o GN é levado a partir das centrais por dutos a cada uma das unidades residenciais.

A opção mais comum e o padrão utilizado em vários condomínios é que cada unidade faça a troca do botijão quando terminarem, contudo essa opção vem sendo trocada pelas centrais externas de abastecimento, que são controlados pelas próprias distribuidoras que realizam o abastecimento.

O gás GLP é frequentemente utilizado nos condomínios, geralmente esse gás é entregue em botijões de 45 quilos ou a granel, já o GN é reabastecido pela distribuidora diretamente nas centrais externas de distribuição dos condomínios.

Legislação

Não existe uma legislação federal que regulamente o assunto, que acaba sendo tratado no âmbito municipal. Na cidade de São Paulo, por exemplo, o tema é contemplado pelo Decreto Municipal nº 24.714, de 1987.

Contudo, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), por meio das Normas Brasileiras (NBRs), estabelece os requisitos para as instalações de gás. A NBR 15.526 define os requisitos para os projetos e execução de redes de distribuição para os condomínios.

A NBR 13.523, por sua vez, diz respeito às condições de segurança de armazenamento de GLP, enquanto a NBR 13.103 especifica as condições de instalação de equipamentos a gás.

Lembrando que o sistema de gás em um condomínio deve receber o aval do Corpo de Bombeiros do município, que é válido por até 3 anos, e são os bombeiros que atestam as condições de funcionamento do sistema.

Esperamos que nossas informações sobre a instalação dos sistemas de gas em condominios foram uteis para voce. Em caso de dúvidas entre em contato com a empresa que distribui o gás para o seu condomínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *